capa

Livro Poesia Onírica e Escritos Alquímicos

Poesia Onírica e Escritos Alquímicos - Sandra Coelho

Em breve lançamento do meu primeiro livro de poesias: Poesia Onírica e Escritos Alquímicos.

Continue lendo →

13 Mai , 2014
1

Oficina de Sonhos e Criatividade: o processo criativo a partir do universo onírico

A exemplo de alguns nomes expressivos do universo da arte, como Fellini e Akira Kurosawa, que  a partir do contato com seu próprio universo onírico, criaram grandes obras, a Oficina de Sonhos e Poesia Onírica é um projeto de imersão aos conteúdos individuais oníricos dos participantes e sua poesia particular e inédita.

Continue lendo →

21 Set , 2013
capa

Có.di.go Poema

Có.di.go Poema é uma performance que explora a linguagem da projeção digital e a palavra enquanto construção visual. Trata-se de uma experiência poética íntima e interativa, que explora diálogos entre o público e o performer interlocutor, no papel de voz onírica de criação.

Continue lendo →

11 Jul , 2013
Poesia das falas

Folia das Falas: Poesia em Movimento

No dia 10/07 apresentaremos na Casa de Cultura Dide Brandão, dentro do evento Folias das Falas:  Poesia em Movimento, a performance Có.di.go – Poema.  

Continue lendo →

5 Jul , 2013

Atualidades

E eu dizia: Fui expulso
de diante dos teus olhos.
Como poderei contemplar novamente
o teu santo Templo?
As águas me envolveram até o pescoço,
o abismo cercou-me,
e a água enrolou-se em volta da minha cabeça.

Jonas 2:4.

30 Abr , 2013

Diário de um poeta morto

Existe o castigo dos poetas que é a prisão das palavras.
-  Eis-me aqui em cárcere também –

Continue lendo →

26 Mar , 2013

Tarkovsky’s Mirror

Trecho do filme ‘O Espelho’ do cineastra Tarkovsky.  Para lembrar que Psique é imagem!

Continue lendo →

14 Mar , 2013
arabesco

abriu os braços ao peito
ávido
como terra úmida
semente.
eram de ondas que batia o coração
miúdo.
porque não havia boca
que lhe contasse
o ontem.

4 Mar , 2013
4.2.3

Filmes (poesias) para ver com a Alma

Continue lendo →

28 Jan , 2013
arabesco

[a sombra teme a luz]
faltam doses de poesia
só é possível a vida em
aproximações.

“…hoje é um dia de chuva que não me molha”, pensou.

23 Jan , 2013
arabesco

a face era de papel amassado
assim como os olhos
- negros -
virou-se para mim
e apontou
o caminho.

22 Jan , 2013
arabesco

um sorriso vindo de fora
ouvidos tristes.
ausentes vivos
acalmados pela dormência
dos fios cotidianos e densos
ao qual damos o (consumado)
nome de realidade.

anomalias é aquilo que é denso, pesado, visível, palpável. e: sem poesia. a imaginação foi saqueada. estamos sem estações da alma. exatidões.

Continue lendo →

14 Jan , 2013

alheios

Permaneço anônima aos meus.
Duas pessoas espiam a porta
Não há nada em mim que seja vitrine
Outras coisas devem ser justificadas
Mas o espanto pela ausência do meu nada
Me faz palavra viva em paredes onde não estou
Talvez eu seja o respiro de alguém que já morreu.

7 Jan , 2013
arabesco

alma livre

As vezes tenho a impressão que o nada e o tudo são exatamente a mesmíssima coisa. Qual o nome da minha poesia? Que rei governa meu trono?

Continue lendo →

23 Out , 2012
arabesco

Coisas pelas quais tenho urgência

É pela corrida depois do muro alto que minhas pernas ainda não pularam. Também é pela terra molhada (imagino) que macia espera meu toque urgente e rápido porque logo correrei o caminho todo ali em frente ao horizonte. Aqui estou agora a olhar esse muro que me olha também.

Continue lendo →

9 Ago , 2012
arabesco

O novo

O novo de sempre que se apresenta sempre como uma então possibilidade. Pergunto-me o que realmente é novo na roda da vida que circulo, circulo, circulo e nem sei bem se meu olhar deve direcionar-se, para o que me segue as costas ou para onde meus olhos alcançam quando ergo a cabeça pesada do pensamento – a função dominante

Continue lendo →

31 Mai , 2012
arabesco

Soturna

Era desses tipos excêntricos que são apenas nas noites. Apenas. Certa vez, depois da exaustão da existência soturna, resolveu entregar-se a ela, ainda enquanto. Após a ausência no dia,  chegou  em casa, espalhou suas coisas, como de costume, procurou em vão por comida saudável, abraçou seu cachorro, não abriu a correspondência, deletou mensagens telefônicas sem ouví-las, desprendeu-se do dia,  apagou memórias,

Continue lendo →

23 Mai , 2012
arabesco

F(r)ases

Amor é a leveza que a alma sente.
Compreende o amor também o perdão e a extensão à outras pessoas.
O amor desfaz a falsa noção do eu, numa tristeza solitária mas não daquilo que se é, mas pela propriedade de não pertencimento.
Comovente é a expressão de todo amor.- em qualquer tempo.

15 Mai , 2012
arabesco

a lua de ontem me olhou pequena.
japonesa.

12 Mar , 2012
arabesco

socorro a muitos poréns evitando o não.
(quero-posso-suporto-devo)
porém há dúvida.
e de dúvida em dúvida
porém em porém
mais um suspiro de vida.
é tudo apenas hoje.

3 Mar , 2012